Frutas da Ásia: 4 Frutas Originárias da Ásia

FRUTAS DA ÁSIA

Sabe aquelas frutas que você tinha certeza que eram brasileiras mas são Frutas da Ásia? Imagine você levar alguns amigos seus para tomar suco natural, e se gabar das deliciosas frutas do Brasil, #SQN!

Gostaria de conhecer algumas Frutas originárias da Ásia, que não eram muito conhecidas no Brasil e em outros lugares até o século XX?

Formações Vegetais da Ásia

Como as formações vegetais dependem do tipo de solo e principalmente do clima, a Ásia apresenta muitas variedades vegetais, ainda que parcialmente destruídas ou alteradas pela milenar ocupação humana.

No extremo norte do continente, junto ao pólo, não há condições para a existência de vegetação, porém mais ao sul, na planície Siberiana, começam a surgir formações de tundra.

Ainda rumo ao sul, à medida que o clima polar se torna menos intenso e o frio se estende por um número menor de meses, aparece a vasta região da taiga, quase integralmente pertencente à Rússia. O maior destaque, entretanto, está nas estepes, que ocupam grandes extensões da Ásia Central, aparecendo em áreas de clima temperado continental.

Os arquipélagos situados na Ásia Meridional apresentam-se recobertos por florestas equatoriais e tropicais, não muito diferentes das que existem na Amazônia brasileira. Essas formações podem ser observadas também no centro-sul, onde igualmente se verifica a presença de savanas, em que a vegetação herbácea é dominante, apresentando arbustos e árvores em associações pouco densas, como o jângal na Índia.

Conheça as frutas nativas da Ásia, umas pouco conhecidas e outras já conhecidas por nós brasileiros.

4 Frutas da Ásia

1- Frutas da Ásia: Caqui ou Diospiro

Caqui Americano

O caqui (português brasileiro) ou dióspiro (português europeu) é o fruto do caquizeiro (português brasileiro) ou diospireiro (português europeu), uma árvore da família Ebenaceae. O nome dióspiro (Diospyros) tem origem no grego: διόσπυρος (dióspyros), que significa alimento de Zeus, enquanto caqui vem do japonês kaki (柿).

Existem diversas variedades: a vermelha, quando madura, é muito doce e mole e precisa de muito cuidado no transporte para não se amassar. Esta variedade é muito consumida em Portugal.

A variedade conhecida como caqui-sileide ou caqui-café (no Brasil) é de cor alaranjada e no interior tem riscas cor de chocolate. É mais dura e resistente e não tão doce como a vermelha. Tem poucas calorias (cerca de 80 por 100 g) e possui vitaminas A, B1, B2 e E, além de cálcio, ferro e proteínas.

O caqui é muito cultivado na região sul do Brasil e no estado de São Paulo, particularmente em Itatiba, Piedade e em Mogi das Cruzes, conhecida como Terra do Caqui, pois o fruto dá-se bem em climas amenos e frios (subtropical e temperado).

No Brasil, as primeiras variedades do caqui doce foram trazidas por imigrantes da Ásia (japoneses) em 1916; até então, os brasileiros só conheciam o caqui do tipo adstringente, aquele que «amarra a boca».

Em 2018, São Paulo era o maior produtor de caqui do Brasil, com 58% da produção nacional. O Rio Grande do Sul vinha em 2º lugar com 19%, Minas Gerais em 3º lugar com 8%, e o Rio de Janeiro em 4º lugar com 6%.

2- Frutas da Ásia: Goumi ou Gumi

Frutas da Ásia: Goumi

Goumi ou Gumi é outra das Frutas da Ásia, eles são o fruto do arbusto decíduo a semi-perene botanicamente conhecido como Elaeagnus multiflora da família Elaeagnaceae. A planta Goumi é cultivada em alguns lugares por seus frutos comestíveis, embora seja predominantemente cultivada como um arbusto ornamental.

As frutas não tiveram sucesso comercial porque são muito delicadas para transportar frescas sem danificá-las. O arbusto Goumi está, no entanto, começando a se tornar uma planta popular como resultado de sua capacidade de fixação de nitrogênio, que permite que ele se alimente e as plantas vizinhas com o nitrogênio que produz.

Os frutos de goumi têm forma de drupa oblonga e medem até meia polegada de comprimento. Sua pele vermelha brilhante é coberta por uma haste longa e fina, semelhante a uma cereja. Além de seus frutos vibrantes, as plantas Goumi são conhecidas por suas folhas verdes de um lado, com a parte inferior prateada pontilhada com pequenas escamas.

Os arbustos goumi apresentam pequenas flores em tons de branco prateado que apresentam um perfume aromático que foi comparado aos lilases. A polpa interna da fruta Goumi é suculenta e envolve uma semente central e fibrosa que, embora tecnicamente comestível, não é normalmente consumida. O sabor da fruta é agridoce e, a menos que esteja totalmente maduro, pode ser bastante adstringente. As frutas Goumi oferecem vitaminas C, A e E, antioxidantes, ácidos graxos essenciais e flavonóides.

3- Frutas da Ásia: Kiwi ou Quivi

Frutas da Ásia: Kiwi ou Quivi

Actinidia deliciosa, é mais uma das 4 frutas da Ásia, é conhecido como quiuí, quivi ou kiwi é um fruto comestível proveniente de algumas espécies do gênero Actinidia e de seus híbridos, originários da Ásia (sul da China). São plantas típicas de locais com clima temperado ou subtropical de montanha.

As variedades de fruto mais amplamente comercializadas são produzidas por diversos cultivares da espécie Actinidia deliciosa e, em muito menor quantidade, por algumas variedades de Actinidia chinensis.

O fruto possui polpa de coloração esverdeada e uma casca de cor castanho-esverdeada a castanho-amarelada, coberta de uma espécie de micropelos que lhe dão um aspecto fibroso e hirsuto. É considerado o fruto comercial com maior quantidade de vitamina C já identificado com a exceção da acerola, além de ser particularmente rico em alguns oligoelementos, como o magnésio, o potássio e o ferro.

Os frutos dos cultivares mais comuns são ovais, com o tamanho aproximado de um ovo de galinha (5 a 8 cm de comprimento e de 4,5 a 5,5 cm de diâmetro). O fruto tem uma casca fibrosa, baça, castanho-esverdeada, que recobre uma polpa verde brilhante ou verde-amarelada que contém fileiras de pequenas sementes negras comestíveis. Quando maduro, o fruto é sumarento e macio, com um paladar e cheiro muito característicos.

A boa combinação entre as vitaminas A e E desta frutas da Ásia (Kiwi), pode diminuir o risco de doenças cancerosas e circulatórias, incluindo as coronárias, e melhorar o desempenho do sistema imunológico. A vitamina B6 e a niacina são encontradas em quantidades menores que as outras, porém ainda em quantidades significativas.

Alguns dos elementos minerais, como o cálcio, o magnésio, o ferro e especialmente o potássio, contribuem para equilibrar a tensão arterial e aumentam as defesas do organismo na prevenção das gripes e resfriados. O fruto fornece, também, quantidades razoáveis de fibras solúveis, que auxiliam a diminuição dos níveis de colesterol no sangue. Devido à sua riqueza em clorofila, o kiwi é uma das poucas frutas que mantêm a coloração verde quando madura.

4- Frutas da Ásia: Noni ou Morinda Citrifolia

Frutas da Ásia: Noni ou Morinda Citrifolia

O noni cresce tanto em florestas tropicais, como em terrenos rochosos, ou arenosos. É tolerante a solos salinos e certas condições de seca. É, portanto, encontrado numa grande variedade de habitats: terrenos vulcânicos, ou mesmo em terra calcária.

Pode crescer até 9 m de altura e tem folhas finas simples, de coloração verde clara, com veias vincadas. A planta dá flores e frutos durante todo o ano. As flores são pequenas e brancas. A fruta contém muitas sementes e tem um forte odor quando colhida, daí que seja por vezes descrita como fruta de queijo ou fruta de vômito.

O fruto é oval e atinge de 4 a 7 cm de tamanho. Quando surge, apresenta cor verde, mudando para amarela e por fim, quase branca, altura em que o fruto é colhido. Apesar do seu cheiro classificado como desagradável, as pessoas alimentam-se deste fruto, quer cru, quer cozido. Moradores do Sudoeste da Ásia e os aborígenes da Austrália ingerem a fruta crua com sal, ou cozida com especiarias. O fruto também contém muitas sementes que normalmente são ingeridas depois de assadas.

Na China, Japão e Tahiti, várias partes da árvore (folhas, flores, frutos e tronco) servem para tratamento da febre, tratamento dos olhos e problemas da pele, gengivite, constipação, dores de estômago, ou dificuldades respiratórias. Na Malásia, acredita-se que as flores aquecidas desta planta aplicadas no peito, curam a tosse, náusea e cólicas. Nas Filipinas, é extraído o sumo das folhas como tratamento para a artrite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *